< Todos os Posts

A importância da Web 3.0

Web 3.0

Você já deve ter ouvido falar sobre Web 3.0, mas deve ter ficado um pouco confuso com o significado desse termo, certo?

Mas uma coisa que você já deve saber é que vivemos em uma era onde a internet é dominada por grandes empresas que criaram seus monopólios utilizando nossas informações digitais ou até mesmo nossos ativos físicos como carros ou casas. Estamos falando de empresas como Uber, Airbnb, Facebook, Google, Waze, Youtube, entre outros. E percebem o quanto seria impossível criar produtos concorrentes dessas empresas no modelo atual? Precisamos “quebrar” o modelo do qual eles foram construídos para oferecer produtos que empoderem as pessoas.  Dessa forma poderemos assumir papéis mais importantes ao invés de apenas consumidores.

E neste artigo vamos explicar para você o que é Web3 e porque precisamos dele.

No discurso realizado por Juan Benet, fundador e chefe executivo do Protocol Labs, ele fala sobre a visão da Web3 e como ela se relaciona com a humanidade passando de uma civilização pre-computing para uma civilização post-computing.

Este discurso nos dá uma definição clara do que é Web3 e nos orienta a entender como a tecnologia blockchain se encaixa na história da Web e nos incentiva a atualizar a Internet.

Para assistir a este vídeo completo é só clicar aqui.

A evolução da internet

A Web3 faz parte de uma fase de transição muito maior que a que estamos passando.

Existe um movimento maior acontecendo agora na internet, muitas melhorias estão sendo implementadas, há uma mudança muito significativa com a nossa espécie.

A grande maioria da população não tem uma boa compreensão do que isso significa e que crescemos com a internet.

Essa transição está acontecendo muito rápido e também parece um pouco lenta para nós.

Não percebemos essa diferença com o passar dos anos, no entanto, quando se passa uma década ou cinquenta anos conseguimos ver mudanças mais drásticas.

Imagine agora essa transição atingindo você em ondas como mainframes. Computadores pessoais, interfaces gráficas, a internet, a web, web 2.0, celular, blockchain, web 3.0 e muito mais. Isso tudo aconteceu nos últimos 80 anos mais ou menos. Imagine agora o que vai ser daqui a oitenta ou quarenta anos. É difícil de imaginar, não?

A seguir, vamos entender cada uma das fases da internet.

Web 1.0

A Web 1.0 é a fase logo após a criação da internet. O principal conteúdo disponibilizado na internet eram apenas páginas institucionais e enciclopédias online.

No entanto, nessa fase, não havia espaço para comentários, interações e compartilhamentos. As páginas eram estáticas e um pequeno grupo de empresas eram responsáveis pela criação do conteúdo, semelhante à TV e ao rádio.

Web 2.0

A Web 2.0 é a estrutura que caracteriza a internet atualmente. Foi criada para dar mais liberdade aos usuários. Foi nessa fase que as redes sociais e os blogs começaram a surgir.

Com o passar do tempo, o volume de conteúdo digital aumentou, o que impulsionou os mecanismos de busca a criarem estratégias para melhorar a experiência do usuário (UX).

O Google, por exemplo, coloca na primeira página de busca os conteúdos que ele entende como relevantes. A expectativa é oferecer a resposta o mais rápido possível daquilo que você precisa saber. Porém, esses esforços não parecem ser tão eficientes para assegurar uma boa experiência. Além disso, o número de pessoas conectadas à internet aumentou exponencialmente nos últimos anos.

Muitas empresas começaram a ver informações como: idade, contato, localização e preferências dos usuários como forma de lucro, criando produtos customizados.

Você passa a ser monitorado em cada ação online por vários mecanismos que podem coletar seus dados e vendê-los.

Por isso, a estrutura da internet precisa evoluir para a Web 3.0.

A mudança para a Web 3.0

A Web 3.0 (também conhecida como Web3, Web 3 ou Web Semântica) é uma nova estrutura da internet, que une tecnologia de inteligência artificial, machine learning e a descentralização de uma rede peer-to-peer para criar uma experiência de usuário otimizada e segura.

A Web 3.0 também é chamada de Web Semântica (ou Web Inteligente). Isso se refere à proposta de desenvolver uma estrutura que torne a comunicação humano-máquina o mais natural possível.

Por exemplo:

Uma pessoa diz que gostaria de comer uma pizza. Automaticamente aparecerão opções de pizzarias para esse usuário.

Você pode estar se perguntando que dessa forma os seus dados vão continuar sendo utilizados por algum mecanismo de busca e pela assistente.

Sim, porém com a estrutura da Web 3.0 a sua conexão é descentralizada e criptografada. Dessa forma, não existe um servidor central que possa monitorar os seus dados. Por isso que, além da experiência, a Web 3.0 propõe um ambiente virtual mais seguro.

Conclusão

A Web 3.0 vem para solucionar uma das maiores preocupações atuais do internauta: a segurança de dados.

A tendência é que os usuários, com o uso de tecnologias como a criptografia, tenham total controle sobre os próprios dados. Isso significa que, em vez de esperarem que as empresas personalizem suas experiências, os internautas vão, em conjunto com a inteligência artificial, moldar a própria navegação.

Fique ligado com a gente para saber mais novidades sobre o futuro da internet.

Referências

Web descentralizada

https://web3.foundation/about/

Porque precisamos da Web 3.0

https://gavofyork.medium.com/why-we-need-web-3-0-5da4f2bf95ab

Aviso Legal: Esta postagem é apenas para fins educacionais. Não constitui um conselho de investimento ou uma recomendação ou solicitação para comprar ou vender qualquer investimento e não deve ser usado na avaliação do mérito da tomada de qualquer decisão de investimento. Não deve ser invocado para aconselhamento contábil, jurídico ou tributário ou recomendações de investimento.

Postagens recentes

blog
Talita Paes

Celebridades que utilizam NFTs

Celebridades que utilizam NFTs Por que celebridades como Neymar e Justin Bieber estão de olho nas NFTs Os NFTs caíram no gosto de celebridades, nomes

Read More »