< Todos os Posts

DApp – O que são aplicações descentralizadas?

Por existem?

Você provavelmente já usou ou ouviu falar dos aplicativos de transportes que conectam usuários e motoristas, como o Uber, 99 Pop, In-Drive, entre outros. Estes aplicativos funcionam da seguinte forma: você paga o motorista para te levar em algum lugar, de forma que ambas as partes ganham – ele recebendo pelo serviço prestado e você pelo deslocamento.

No entanto, a empresa cobra uma taxa no seu pagamento a fim de que eles continuem oferecendo o aplicativo e também lucrem. Já parou para pensar que sua viagem pode ficar mais barata caso não houvesse uma empresa administrando o aplicativo? Esta é uma das soluções tragas pelas DApps. 

Elas permitem que a centralização, ou seja, a empresa central responsável por sua interação com o motorista, desapareça. Dessa forma, você se conecta com o motorista sem um intermediador, evitando o pagamento de taxas a alguma empresa. 

A remoção do intermediador, inclusive, pode ser feita em qualquer serviço, não só o de transporte. Alguns outros serviços que funcionam de forma centralizada atualmente são: deliverys, marketplaces, finanças, entre outras. As possibilidades são infinitas. 

Bem-vindo ao mundo das DApps.

Como funcionam?

Como o próprio nome já diz elas precisam ser descentralizadas, sendo assim sua arquitetura de software precisa ser elaborada para que não dependa de alguém para acender e apagar a luz.

Outro aspecto importante, é a regra de negócio que precisa ser modelada de forma que as decisões não sejam tomadas de forma centralizada sem uma governança democrática. 

E um dos fatores mais importantes, é que sua economia seja transparente e a prova de fraudes e seu acesso global.

Por fim, e não menos importante, por serem descentralizadas elas podem ser construídas de forma colaborativa e para isso seu código fonte é aberto.

Vantagens:

Código aberto (Open-Source)

Não é um mistério que as gigantes da tecnologia sabem tudo sobre cada um de nós, inclusive sobre você. Empresas como Google e Facebook possuem todos os dados sobre o que pesquisamos, curtimos, assistimos, assim como os dados sobre onde fomos por meio dos serviços de localização, quem são nossos amigos, quais os produtos e marcas por quais temos preferência, quais famosos valorizamos mais e uma outra infinidade de informações. 

Certamente estes dados são usados para direcionar campanhas publicitárias específicas. No entanto, uma vez que todos estes dados estão com eles, não sabemos os outros destinos de nossos dados. Qualquer coisa pode ser feita pois, não há uma transparência em relação aos mecanismos de tecnologia usados a fim de fazer o uso dos dados. 

Nas DApps, entretanto, o que é feito com os dados é totalmente transparente a qualquer um. É o chamado código aberto (open-source). Basta ir na página da DApp e procurar pelo código aberto. 

Por exemplo, para a DApp Uniswap, clique aqui para ser redirecionado para o código aberto deles. Lá é possível ver toda a programação relacionada ao funcionamento da DApp, de forma que nada é escondido do usuário, dando mais credibilidade ao site e mais confiança aos usuários. 

Resistência à Censura

Continuando nossa comparação das DApps e dos sites do modelo tradicional, fica evidente mais um benefício das Dapps: a resistência à censura. Ano passado, por exemplo, o Facebook decidiu censurar posts anti-governamentais no Vietnã devido a pressão do governo do país para que o mesmo fosse feito, pois, caso contrário, o governo baniria o funcionamento da empresa no país. 

Este é apenas um dos muitos casos polêmicos sobre a decisão de censura de grandes empresas sobre o conteúdo que é mostrado nas suas plataformas. Essa centralização de tomada de decisão na mão das empresas é mais uma barreira quebrada pelas DApps. Uma vez que o código foi feito e adicionado na blockchain, ninguém pode censurá-lo, pois, a blockchain possui a característica de ser imutável. 

Vamos supor, por exemplo, que uma DApp similar ao Facebook fosse feita. O algoritmo utilizado a fim de determinar como a plataforma funciona não pode ser alterado. Desta forma, não haveria maneira de decidir quais posts devem ou não ser mostrados, independentemente do que pensam os diferentes governos, empresas, usuários e até mesmo os criadores da DApps. 

O código estaria aberto a qualquer um para saber como a DApp funciona e todos seguiram as mesmas regras, não importando a sua hierarquia na sociedade.

Sempre Disponível

Em outubro deste ano, a empresa do Facebook perdeu $7 bilhões de dólares devido ao serviço de suas plataformas ficarem fora do ar. O problema foi causado por um engenheiro durante uma manutenção de rotina na rede do centro de dados da empresa.

 A consequência ruim não prejudicou apenas a empresa em si, mas também muitas das pequenas empresas que dependem dos serviços de marketing nas plataformas do Facebook para vender seus produtos. Essa falha, embora tenha durado apenas algumas horas, mostra como estamos a mercê do funcionamento das grandes empresas.

Caso, por algum motivo, o serviço delas deixe de funcionar devido a problemas internos ou decisões do governo, todos nós seremos afetados.

As DApps, por outro lado, tem seu funcionamento mantido por diversos computadores espalhados por todo o mundo, que funcionam todos os dias e a todo momento. Até você pode fazer com que o seu computador contribua para o funcionamento delas, recebendo em troca alguns tokens. Dessa forma, essa descentralização e cooperação contribuem para que os serviços das DApps sempre estejam online, disponíveis 24hrs. 

Para que uma DApp deixe de funcionar, todos os computadores da rede na blockchain precisam parar de contribuir para a manutenção da rede – e ao mesmo tempo, pois, mesmo que um continue, a DApp continuaria a funcionar. 

Como aqueles que contribuem para o funcionamento da blockchain recebem tokens pelo esforço dos seus computadores, a tarefa de derrubar a blockchain se torna praticamente impossível. Esta é uma grande vantagem para os serviços financeiros que utilizam as DApps, pois, não haverá momento de indisponibilidade, causando as dores de cabeça que temos frequentemente com o modelo tradicional, como, por exemplo, quando vamos a um caixa eletrônico e o mesmo está fora do ar.

Desvantagens

No mundo das aplicações descentralizadas, nem tudo são rosas. Há algumas desvantagens em relação ao sistema tradicional.

Experiencia do Usuario

Esta desvantagem já é mais subjetiva e depende do perfil do usuário. Vivemos em um mundo virtual no qual cadastros em diferentes sites usando email, nome de usuário e senha são bem comuns. É uma linguagem simples e você apenas tem que lembrar a senha. 

Já nas DApps, o cadastro e manutenção da sua conta em algum serviço é feito utilizando-se de uma chave pública e de uma chave privada, o que pode ser uma dificuldade para pessoas com pouca facilidade com a tecnologia. Entretanto, para outras pessoas, pode ser até mais fácil. 

Outro lado que ainda precisa melhorar nas DApps é o alto valor de interação com elas. Quando um usuário faz qualquer interação com uma DApps, dependendo do serviço, o usuário precisa pagar uma taxa.

Como o valor dos tokens vem subindo muito, estes valores ficam cada vez maiores quando comparados com as moedas tradicionais que usamos no dia a dia. Este valor é o valor que é dado aos contribuintes individuais que mantêm o sistema funcionando. 

Manutenção das DApps

Para os desenvolvedores de DApps, a imutabilidade do sistema faz com que seja muito mais difícil fazer atualizações e correções na sua DApp de acordo com a mudança das necessidades do mundo e do usuário.

Segurança Tradicional não funciona

Como as DApps estão em um ambiente diferente dos servidores tradicionais, os métodos de segurança adotadas devem ser adaptados e específicos para este novo ambiente. Ou seja, ao programar os contratos inteligentes, o programador deve estar atento às vulnerabilidades do mesmo com um olhar voltado às possibilidades de ataques no mundo do blockchain.

Integração

Hoje em dia, caso você crie um website com a funcionalidade de entregar produtos a clientes, e muito importante fazer a integração de uma API para facilitar o processo de localização dos clientes para a entrega dos produtos. No entanto, serviços terceirizados, como APIs, ainda é um problema não resolvido nas DApps, o que obrigaria você a desenvolver todas as suas funcionalidades. 

Lembrando que este não é o caso para todas as DApps. Há sim, DApps que tornam possível integração, como, por exemplo, a UniSwap.

Conclusão

Através desse novo paradigma de criação de aplicações e produtos, um mar de oportunidades se cria para empreendedores que a anos buscam criar soluções para concorrer com gigantes da web2.0. É uma luta desigual, mas com aplicações descentralizadas o conceito muda totalmente e os mesmos produtos que existem precisam ser reformulados para uma nova internet. 

E a cultura dessas grandes empresas não nasceu para colocar o usuário no centro lhe dando empoderamento, liberdade e segurança. Sendo assim, agora podemos dizer que temos um novo oceano azul para explorar novos produtos para a web3.0.

Para chegar lá, precisamos continuar estudando, aprendendo e aplicando. E para isso, pode contar com a GoBlockchain, através de nossos cursos, conteúdos e DApps para o setor financeiro.

Siga a gente em nossas redes sociais que estão no nosso rodapé do site !

Obrigado e até o próximo. Ahh e se gostou compartilhe 😊

Aviso Legal: Esta postagem é apenas para fins educacionais. Não constitui um conselho de investimento ou uma recomendação ou solicitação para comprar ou vender qualquer investimento e não deve ser usado na avaliação do mérito da tomada de qualquer decisão de investimento. Não deve ser invocado para aconselhamento contábil, jurídico ou tributário ou recomendações de investimento.

Postagens recentes

Polygon MATIC
DeFi
Allan Azevedo

Por que precisamos da Polygon (MATIC)

Polygon, anteriormente conhecido como Matic Network, é uma solução de dimensionamento que visa fornecer várias ferramentas para melhorar a velocidade e reduzir o custo e

Read More »