< Todos os Posts

Entendendo Blockchain: Terminologia e Funcionamento

Curioso para entender do que se trata este mundo em crescimento do Blockchain? Você está no lugar certo!

Este guia em forma de glossário foi preparado para ser o melhor artigo para explicar os conceitos fundamentais desta tecnologia. À medida que você lê mais sobre o assunto, você vai se deparar frequentemente com os termos abaixo. 

Considere adicionar esta página como favorita no seu navegador para você voltar e lembrar algum conceito que tenha esquecido. O artigo foi elaborado de forma sequencial, ou seja, cada tópico seguinte é continuação do anterior para que você possa aprender em sequência até o último tópico. 

Abaixo, são mostradas as seções nas quais o artigo está dividido. Caso queira ir diretamente a uma seção, basta clicar no título desejado.

Quais as Principais Características do Blockchain?

Como Funciona o Blockchain?

Algoritmos Usados Para Mineração

Como Interagir em uma Blockchain Como Consumidor?

Como Interagir em uma Blockchain Como Programador?

Exemplos de Inovações Trazidas Pela Tecnologia Blockchain

 

O Que é o Blockchain?

Para que seu entendimento seja completo:

Banco de Dados

Coleção de dados armazenados e que podem ser acessados por um computador. Provavelmente você já usou algum Spreadsheet como o Excel ou algum serviço de armazenamento de dados na nuvem como o Google Drive ou Dropbox. Estes são bancos de dados, pois eles armazenam os dados que você coloca lá e podem ser acessados pelo seu computador – como registros no caso do Excel e fotos, vídeos e documentos no caso do Google Drive ou Dropbox.

Blockchain

Um tipo específico de banco de dados. É formado por uma sequência cronológica de blocos em que cada bloco está ligado ao seu antecessor, e cada bloco armazenando dados. Do inglês, ”block” significa “bloco” e “chain” significa “corrente”. Desta forma, o Blockchain é uma corrente de blocos. 

Esta corrente é o esqueleto deste banco de dados. Os dados armazenados nos blocos são as transações.

Alguns dos exemplos mais famosos de blockchains são: Bitcoin, Ethereum, Cardano e Solana. Apesar de todos estes exemplos serem de fato blockchains, todos eles possuem peculiaridades que os diferem uns dos outros.

Criptomoeda

Ativo digital cuja segurança se deve a uma criptografia avançada e que, por natureza, não tem alguma entidade ou organização que o gerencia. Para mais cédulas do real brasileiro serem emitidas e distribuídas para a população, quem toma a decisão é decisão do Banco Central, enquanto que uma criptomoeda não é governada por alguém ou alguma entidade.

Tokens

Representação digital de um bem com valor comercial. As criptomoedas tem por objetivo ser moeda, enquanto um token pode representar quase qualquer coisa como, por exemplo, pontos de alguém em algum jogo, quantidade de produtos em um inventário, uma moeda, etc. Qualquer coisa mensurável e de valor pode ser tokenizada.

Transações

São os dados mais comumente armazenados na blockchain. É simplesmente um registro das transações de criptomoedas ou tokens entre as contas dos usuários na rede do blockchain.

 

Quais características da Tecnologia Blockchain?

Descentralização

Não há um entidade maior – uma pessoa ou organização – responsável por tomar decisões, monitorar e gerenciar o uso da corrente de blocos. O poder na verdade é distribuído para a comunidade, que pode então entrar em consenso sobre o que deve ser feito.

Consenso

A corrente de blocos estará no mesmo estado para todos os participantes mantendo a descentralização. Esse consenso não é atingido por opiniões pessoais no Blockchain, mas sim por algoritmos matemáticos. 

Isto permite que a rede permaneça segura, sendo que todos os participantes (nodes) terão a mesma cópia da blockchain e também suas atualizações. Sem um consenso, haveria diferentes cópias para diferentes pessoas, acarretando em incerteza sobre qual corrente de blocos é a verdadeira.

 

Como Funciona o Blockchain?

Nodes

Computador que participa na rede do blockchain. Node e minerador têm o mesmo significado neste glossário. Tem a função de fazer a mineração e validação dos blocos na blockchain. No caso da Ethereum, para seu computador poder ser um node e participar do processo de mineração/validação, é preciso que um software seja instalado.

Alguns exemplos dos softwares são: Geth, Nethermind e Besu. Você pode ver algumas informações sobre os nodes ativos agora na Ethereum clicando aqui.

Hash

Número que identifica os blocos e transações. Ele é criptografado, ou seja, sua representação não é como estamos acostumados.
Um exemplo de um hash qualquer é:
51a92e6d7246371407ea97b5177a8a0850425fa7ef6a03bf1539a37d93dc7f4f

Chave Privada

Esta é um número – em forma de hash para ser mais segura por díficil de ser copiada ou desvendada. Sua chave privada é a forma que você tem de manter suas criptomoedas e seus tokens seguros e de fazer transferências com eles. 

Caso alguém consiga descobrir suas chaves privadas, esta pessoa terá poder sobre sua conta, inclusive poder para roubar os seus tokens. Em inglês é a famosa private key

Chave Pública

Esta é um número – em forma de hash para ser mais segura por ser díficil de ser copiada ou desvendada. Sua chave pública é vísivel a todas as pessoas e cada pessoa tem uma chave pública diferente. 

Ela é produzida a partir da chave privada e é usada por alguém que deseja fazer uma transferência como forma de identificar o destinatário.

Mineração

Processo que permite a Blockchain permanecer segura de fraudes ao dar incentivos em token para os nodes que despenderem seus recursos computacionais para mantê-la segura. 

É como se seu computador trabalhasse de segurança na rede, recebendo o pagamento em tokens. 

A mineração usa algoritmos matemáticos para manter o consenso na rede – todos terem a mesma cópia verdadeira da Blockchain. No exemplo do Bitcoin, o algoritmo utilizado para manter o consenso é o proof of work (PoW), e os nodes participantes recebem uma quantidade pequena de Bitcoins ao fazerem a mineração.

Algoritmos Usados Para Mineração

Proof of Work (PoW)

Mecanismo que permite haver um consenso na Blockchain em relação aos blocos formados. Caracterizada por exigir poder computacional do minerador para resolver um problema difícil de matemática de forma automática usando tentativa e erro. 

Quanto mais poder computacional o minerador tiver, mais probabilidade ele tem de resolver o problema para verificar se o novo bloco adicionado está em coerência com os blocos anteriores da Blockchain. Assim que o resolve, outros mineradores usam sua resposta para confirmar se realmente a Blockchain está íntegra.

Proof of Stake (PoS)

Mecanismo que permite haver um consenso na Blockchain em relação aos blocos formados. Um modelo alternativo ao proof of work. Diferente da proof of work, este modelo é mais recente. Ele exige que o minerador tenha um “stake”, que nada mais é que uma quantidade mínima da criptomoeda.

Ao invés de vários mineradores competirem usando seu poder computacional para encontrar a solução para o problema matemático, um minerador é escolhido aleatoriamente e tem a oportunidade de verificar se o bloco em questão está coerente para participar da Blockchain. 

Os outros mineradores da rede vão verificar realmente se o minerador selecionado fez bem sua tarefa. Caso não tenha feito, ele perde moedas, abaixando o seu “stake” e, desta forma, perdendo dinheiro. Este método incentiva a honestidade por meio da punição e a participação de todos, mesmo sem um computador super potente, por meio da seleção aleatória.

Wallet

Software que permite a você gerenciar suas criptomoedas. Pense numa wallet como se fosse um internet banking – mas sem o banco. Através do software, você pode transferir criptomoedas para outras contas por meio do endereço público delas, ver o saldo de cada criptomoeda que o sua conta possui, conectar-se a algum aplicativo na Blockchain que exige pagamento, etc. 

As wallets mantém suas private keys – mesmo sem ter acesso a elas. Geralmente são um software, podendo ser um aplicativo de celular, um software de computador, uma extensão no browser, entre outros modelos. Mas também não é necessário que você mantenha suas private keys em uma wallet online. 

Você pode armazená-las em um HD, cartão de memória ou papel. Uma das wallets mais usadas pelos brasileiros é a MetaMask.

Uma wallet é diferente de uma exchange em propósito: uma wallet armazena suas criptomoedas, enquanto uma exchange permite a você fazer trading, ou trocá-las por moedas convencionais – fiats.

CEX – Exchange Centralizada

Uma plataforma que permite trading – compra ou venda – de criptomoedas num modelo muito parecido com as corretoras de investimentos. Elas mantém consigo as suas criptomoedas enquanto você faz os tradings, havendo a possibilidade de saque em moedas fiats. Geralmente pedem dados pessoais dos usuários para cadastro. Alguns exemplos incluem: Binance, Huobi e Coinbase.

DEX – Exchange Descentralizada

Um DApp que permite pessoas trocar tokens na rede sem estar sujeita a restrições geográficas – qualquer um pode participar. Ao contrário das CEXs, o usuário tem controle sobre seus tokens.

Alguns exemplos são: Uniswap, 1Inch, Loopring e PancakeSwap. Só é necessário uma wallet para poder interagir numa DEX, permitindo o usuário ser anônimo.

 

Como Interagir em uma Blockchain como Programador?

DApp

Aplicação descentralizada. De forma mais simples, é um website, ou aplicativo que foi construído na blockchain. O consumidor pode interagir com um DApp através de sua interface gráfica enquanto que um programador pode criá-lo. Para os mais familiares com termos de tecnologia, o backend de uma DApp é na blockchain invés de um servidor centralizado. Um DApp é construído por meio de smart contracts.

 

Smart contract

Código de programação que é executado em uma Blockchain. É formado por código (funções) e dados (estado) que residem em um endereço específico na Blockchain.

Este endereço é único para cada smart contract, assim como cada usuário da Blockchain possui seu endereço próprio.

Estes contratos são programados por pessoas e deployed na Blockchain. Qualquer pessoa pode interagir com eles, usando suas funções. Uma vez deployed, ninguém pode alterá-lo. Não são controlados por um usuário, mas apenas fazem o que foram programados para fazer. 

Como são programáveis, os desenvolvedores tem construído aplicações por meio destes contratos nas blockchains.

Oracle

A ponte de dados entre o mundo do Blockchain e o mundo fora dele. A maioria os dados hoje coletados são armazenados de forma centralizada. Quando você preenche um formulário para criar conta em um novo banco, todos os seus dados são armazenados naquele banco. A mesma coisa com o resultado dos jogos esportivos, a previsão do clima, etc.

 Estas informações são distribuídas e então temos acesso a elas. No entanto, estas informações vão se atualizando com o tempo. Os jogos de futebol da semana que vem serão diferentes dos desta semana, o que traz mais dados. A Blockchain, no entanto, é determinada – ou seja, caso um novo node baixe a Blockchain e reproduza tudo o que foi feito até então, ele deverá obter o mesmo resultado que a blockchain atual. 

Mas caso algum dos smart Contracts esteja puxando os dados da companhia que armazena os resultados dos jogos, por exemplo, os novos nodes receberão resultados extras comparando-os com os nodes antigos. Por esta razão existem os Oracles. Eles permitem trazer dados do mundo real e alocá-los na blockchain sem que este problema aconteça. Os Oracles também fazem uso da descentralização para interagir com a blockchain.

 

Exemplos de Inovações Trazidas Pela Tecnologia Blockchain

DeFi

Significa FInanças DEscentralizadas. É uma categoria de aplicativos e websites (DApps) cuja proposta é oferecer serviços financeiros sem qualquer intermediário de forma que qualquer pessoa da internet possa participar. Imagina genenciar o seu dinheiro e seus investimentos sem um intermediário, suas taxas e burocracias?

DAO

Signifca Organização Autônoma Descentralizada. Nada mais é do que uma organização sem um líder e hierarquia. A organização é governada por todos os seus membros, na qual as decisões são tomadas por meio de propostas e votos dos próprios membros. Por exemplo: uma organização de caridade pode aceitar membros e doações de todo o mundo e o grupo decide onde serão usados os fundos invés de apenas uma pessoa ou um grupo de pessoas dentro da organização.

Não há como um membro qualquer despender sozinho todos os fundos, pois a blockchain é pública. Na verdade, o grupo decide junto por meio de voto como os fundos serão usados e após os votos os fundos são usados automaticamente. DAOs são simplesmente smart contracts na blockchain. Desta forma, o Smart Contract armazena todos os fundos da organização e suas regras e modo de funcionamento também. MakerDAO é um exemplo de um protocolo cujo futuro é governado pelo voto dos membros de sua comunidade.

NFT

Tokens que representam um item único que pode ser tangível ou não, e desta forma, não pode ser trocado. Por exemplo, um token que representa uma pintura específica de Von Gough não é equivalente a outro que representa uma pintura específica de Picasso. Eles podem ter talvez o mesmo preço, mas as obras de arte são claramente diferentes. 

Caso eu faça a troca, perderei as características de minha pintura e estarei agora com outra pintura com outras características de um artista diferente. 

Tokens são fungíveis quando podemos trocar qualquer unidade dele por outro, sem perda de valor ou função, como por exemplo, dólar, real brasileiro, Bitcoin e Ethereum. 

NFTs são Tokens Não Fungíveis, daí o nome NFTs. A propriedade das NFTs – quem é/são o(s) dono(s) e seu valor – é registrada e mantida na Blockchain. Assim como pessoas compram obras de arte como investimento, o mercado das NFTs está quente pois são obras de arte também – mas digitais! 

E estando na Blockchain, não há intermediários e suas burocracias e taxas no meio do processo para adquirir ou vender sua obra de arte. Imagina a burocracia para você comprar um obra de arte e registrá-la que te pertence? Na blockchain esta transação é feita em segundos.

Stable Coin

Um token cujo valor está indexado ao valor de algum outro ativo. Existem stablecoins associadas a fiats como o dólar, metais preciosos com o ouro, ou a outras criptomoedas como Bitcoin. 

As stablecoins atraíram as pessoas que tinham receio da volatividade do mercado de criptoativos. Uma das stablecoins mais famosas é o Tether, que foi feito com a intenção de cada Tether ser equivalente a um dólar americano, sendo que cada Tether emitido teria um dólar adicionado nas reservas. Têm sido usadas como maneira para guardar dinheiro no mundo da Blockchain.

Tokenização

No sentido mais simples, é a conversão de um ativo digital ou físico em tokens que podem ser vendidos e comprados.

Imagine possuir uma fazenda cujo valor é R$ 200.000,00 – duzentos mil reais. Você pode criar um token, com um nome qualquer – vamos escolher “FZD“, derivado do nome fazenda, por exemplo. Você pode vender cada FZD valendo 1% da sua fazenda, ou seja, cada FZD vale R$ 2000,00. Agora basta vender seus tokens. 

Fazer este processo na Blockchain permite se livrar de todos os intermediários e suas burocracias que fariam este processo demorar um tempo muito maior, ter transações de compra e venda muito mais rápidas, aumentar a divisibilidade do ativo de acordo com sua preferência – podendo ser 1%, mais ou menos – e todas as transações feitas com os tokens do ativo em questão serão registradas na Blockchain permanentemente e de forma imutável – não havendo alteração nos registros, evitando fraudes e roubos.

Enquanto este processo é fantástico e rápido usando Blockchain, ainda é preciso a regularização dele em todos os países. Como a tencologia da Blockchain é emergente, tais regularizações ainda não foram feitas em todas as nações, mas como o mercado de NFTs têm crescido de maneira exponencial, os países talvez sejam pressionados a regularizar o processo o quanto antes.

E se você chegou até aqui, parabéns! Deixe seu comentário caso não encontre algum termo no glossário que você considera importante adicionarmos.

Siga em nossas redes sociais que estão no rodapé do site! 🙂

Considere compartilhá-lo com alguém que está tendo dificuldade de entender estes termos. Desta forma fortaleceremos cada vez a comunidade de brasileiros interessados em Blockchain.

 

Aviso Legal: Esta postagem é apenas para fins educacionais. Não constitui um conselho de investimento ou uma recomendação ou solicitação para comprar ou vender qualquer investimento e não deve ser usado na avaliação do mérito da tomada de qualquer decisão de investimento. Não deve ser invocado para aconselhamento contábil, jurídico ou tributário ou recomendações de investimento.

Postagens recentes

blog
Talita Paes

Celebridades que utilizam NFTs

Celebridades que utilizam NFTs Por que celebridades como Neymar e Justin Bieber estão de olho nas NFTs Os NFTs caíram no gosto de celebridades, nomes

Read More »
EnglishPortuguêsEspañol